quarta-feira, 9 de julho de 2014

Eco



Não quero sentir mais nada
Prefiro me afogar no mar de dúvidas
Do que continuar tentando
Respirar esse ar podre
Do que seu perfume
Me deixe aqui
Eu sou um monstro
Feito do artificial
Sem alma
Não mereço o amor
Máquinas me mantêm vivo
Mas espero que logo falhem
Eu não tenho escolha
Essa bomba continua pulsando
Dentro de min
Eu sou um monstro
Não fique olhando
Minha pele está queimada
Uso uma máscara de gás
Que não filtra a dor
Deixe que o mundo acabe
Já deixei de me importar