segunda-feira, 23 de junho de 2014

Noite passada



Era tão real
Sua voz, seu cheiro
Os sinos tocaram
Os morcegos voaram
Mas eu permaneci
E a senti

Noite passada
Pude vê-la dançar
Um sorriso sombrio
O perfume de uma flor
Dama-da-noite
Que ironia

Em volta da fogueira
Um sátiro tocava sua flauta
Demônios observavam
O coveiro cavava um buraco
Talvez era meu funeral
Ou apenas um sonho.

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Loucura



Preciso encontrar meu lugar
No conforto da escuridão
Antes que seja tarde
Antes que enlouqueça

Estive esperando pela sua volta
Então nunca sai mesmo lugar
Estive esperando algo mudar
Mas o tempo passou
Estou ficando velho
Estou morrendo

Minha alma já não existe
Meu corpo está podre
Minha mente virou um abismo
Onde sua voz ecoa
Quanto mais eu cair
Mais alto eu a ouço
Venha me tirar daqui