quarta-feira, 26 de março de 2014

Assassino



Não merece viver
Seu tempo já acabou
Um pequeno erro
Lhe mantém de olhos abertos
Esta lâmina já está afiada
E seu pescoço preparado

Ah! me percebeu
Não se preocupe
Não irá doer
Sua vida será tirada
Antes que sinta qualquer coisa
E seu nome apagado da história

A maldição da eternidade
Começa num abraço na noite
E o tempo há de congelar
Seus sentimentos, sua carne
Eu serei seu fim
Provarei todo seu sangue.

quarta-feira, 19 de março de 2014

Ventos do sul



Estou definhando
Os ventos me levam

Para a noite 
Em um dia chuvoso
É uma chuva ácida
Tem seu gosto
Seu cheiro
Não sinto mais
Meu coração
Minha mente
Não passo de cacos
Desse medo
Não existo mais
Em seus olhos
Onde eu queria viver
Continue a me levar
Para longe dessa vida
Esse vento é gelado
É como a morte
Como eu sou
Sem lugar para ir
De encontro á escuridão.