quarta-feira, 20 de junho de 2012

Estranha




É como se eu soubesse
Fazê-la sorrir o tempo todo
Sem precisar te conhecer
Porque o que eu sinto
Eu nunca senti antes
Tão forte e puro

Somos estranhos
Num beco sujo
No meio da noite
Nesta cidade perdida

Nascemos para este momento
Acordamos do pesadelo
De estar perdido
Num caminho escuro

Não faz nenhum sentido
Se não sei nem o seu nome
Mas eu sinto seu coração
Batendo no meu peito
Conectados
Num só corpo

Podemos ficar aqui
Sempre ate o fim
E podemos nos deitar
Na terra fria
Trocando olhares
Até adormecer.

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Morta




Minhas mãos sujas de terra
Não posso te tocar assim
Seu rosto branco e frio
Não pude chegar a tempo
Queria estar ao seu lado
Tirar sua dor antes do fim

Não entendia seu olhar antes
Sombrio e inocente
Junto a um sorriso lindo
Mas agora eu sei
Só queria amor
Meu amor

Quando deitávamos na grama
Olhando as estrelas
Como elas eram vivas
Dançando a luz da lua
Eu sempre te abraçava
Enquanto dormia em paz

Preciso ir com você
Dormir em paz
Abrace-me
No fim
Como eu fazia
Com amor.