sexta-feira, 29 de julho de 2011

Doce desejar



Lembro de quando estávamos juntos
Somente a luz da lua poderia existir
Naquele momento tudo era um sonho
Sentia o doce gosto do seu beijo
E a sinceridade de seu toque
Tudo perfeito como amar

Amar de verdade, como uma criança
Que conhece o amor pela primeira vez
E vê aquele brilho lindo no coração
Sentindo segurança em se entregar

Quero te amar loucamente
Porque essa loucura não machuca
A dor só vem depois que se entende
Os porquês que existem na inveja
De simples seres inferiores
Que sempre querem nos ver mal

terça-feira, 19 de julho de 2011

Noite eterna




Batem a porta no meio da noite
Vou ao encontro de minha sombra
Não é ninguém, somente as vozes
Elas dizem que não vai ter fim
Bato a porta e mesmo soluçando
Escuto seu choro aos cantos da sala
Procuro atentamente te encontrar
Em baixo dos lençóis ou num canto qualquer

Lá fora a chuva cai e é como se
Entendesse cada gota, cada som
Cada uma carrega sua dor
Mas uma única eu não consigo entender
São aquelas que caem de meus olhos

Procuro a solução
Espero ainda o nascer do sol
Mas os sons, os gritos
A dor, o ódio, a solidão
Arrancam meu sono e meus sonhos
Mas nunca vai me deixar
Sei que ainda esta aqui
Meu amor...
Machucando-me e brincando
Sorrindo a cada canto deste quarto
Não consigo entender porque no final
É quem me deita quem me dá calor
Quem sussurra que me ama
E desaparece junto com a lua
Olhando á cima percebo que
Não fechei os olhos
Nesta noite.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Ainda está comigo?




Ainda sinto seu cheiro
Não há lagrimas
Somente um deserto
E uma respiração

Acreditei em seus sonhos
Fechei meus olhos na sua canção
Mas o frio não passou
Mesmo com o amanhecer

Nunca irá partir
Em meus pensamentos
Não está comigo
Mas está em min

Não sou forte como antes
Perdi minha única estrela
E sempre que lembro
Sinto sua falta
Essa é nossa esperança
E a minha destruição.

domingo, 10 de julho de 2011

Rainha da chuva




Voltou a chover, mas não vejo mais sua imagem
Quando eu deixava as gotas tocarem meu rosto
E nua dançava descalça no chão molhado
Vendo a lua refletida em seus olhos, eu sabia
Sabia que nunca iria ser tão feliz como naquele dia
Com seu corpo frio encostado, no melhor dos pecados

A chuva tinha um brilho incomum quando a via
Um cheiro semelhante ao seu quando chorava
E sentava do meu lado e as lágrimas iam embora
Com carinho eu beijava seus lábios
E seu rosto quente encostado no meu peito
Dizia as coisas mais lindas do mundo

Ainda acordo às 3 da manhã e saio de casa
Na chuva desesperado, procurando você
Sempre me chamando pelos cantos das ruas
E nunca aparecendo de verdade
Se ao menos pudesse me ver
Me fazer sonhar em seus braços.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Eterna




O silêncio se faz ensurdecedor
Minhas mãos não mais criam
As belas palavras que saem do coração
E passam pelas minhas veias
Um sangue que nunca se coagula
Um sangue que é invisível

Meus olhos se enchem
Das lágrimas secas da dor
Que machucam ao existirem
Vêem e vão como um sopro
Que não tem som
É só frio

Sonho com uma bela moça
Que vem descendo um caminho
De flores que cantam ao luar
Seus pés nunca tocam ao chão
E o cabelo não acompanha o vento
Será você? Meu amor.