quinta-feira, 24 de novembro de 2011

O Anjo do ódio



Eu sinto cheiro de sangue
Sussurros de dor
Aquela faca parece afiada
E a vida fácil de tirar
Só sinto ódio
Meu amor acabou

Quero sangue
Cortar seus pulsos
Ver a vida sumir de seus olhos
Abaixar a cabeça em seu peito
Esperar parar de bater
Adormecer em seu corpo frio

Sonhei com a morte
Acordei sorrindo
O cheio da podridão
Veio-me doce

Essa loucura me consome
Muito amor que virou cinzas
Agora só quero sua dor
Parece curar minhas feridas
Um anjo de vida a morte
Ou continuo sangrando.

5 comentários:

  1. As vezes me sinto assim também.. Um ódio que parece me consumir...
    "Sonhei com a morte
    Acordei sorrindo"
    Bem assim mesmo...

    Carpe Noctem~
    (saudades de ti ver em meu Blog... sei que tenho demorado pra atualizar também... )

    ResponderExcluir
  2. belas poesias,
    incrível como a poesia gótica tem o poder de nos mostrar, exatamente como nos sentimos

    ResponderExcluir
  3. Como sempre , Belas palavras.
    Não me parece ser odio , e sim frustração....que as vezes nos leva a fazer coisas piores que o odio.

    Abraços Solitarios
    de
    http://alone--again.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Lindo.. Gostei muito das palavras.. Do modo de expressar-se.. Como se visse um reflexo meu lendo isso.. A insanidade.. A dor..

    O seu modo de expressar os sentimentos por meio da poesia.. Simplesmente me fascina, me encanta..

    Abraços obscuros..

    ResponderExcluir