sábado, 3 de setembro de 2011

Intocável




Meu silêncio é predominante
Na selva das almas
É um som atordoante
Ecos e soluços de choro
Da criança sozinha na estrada
Nem mesmo os ratos passam por ela

De que adianta continuar o caminho
Se minha amada não está ao seu fim
De que adianta mentir pra si mesmo
Se uma falsa realidade não faz sorrir
De que adianta amar uma ilusão
Se nunca irei tocar seu rosto

Meu coração cansado de bater
Pede um sopro de esperança
Que sempre me dava aos poucos
E ria com minha sincera dor
Mas ele não quer mais sofrer
Ele não quer mais bater...

4 comentários:

  1. Não tenho oque dizer.... Seus textos continuam perfeitos pra mim...

    Carpe Noctem~

    http://mohhomes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. similar....

    muito show seu texto , parabens.

    Abraços Solitarios.

    http://alone--again.blogspot.com/

    ResponderExcluir