quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Anjo da morte




Quero gritar o mais alto que puder
Expressar a dor, raiva, esperança, vingança
Tudo pra fora e fazer uma canção
Feita de historias de amor
Jogadas aos ventos como se fossem reais
Sonhos e amores criados na solidão

Julgar-me?
Sou um anjo dependente amor
Diz o que sou em meio a aparências
Não diz que posso voar com minhas palavras
Ou realizar sonhos com um sorriso
Mas crer que anjos não existem
É se jogar ás profundezas

Quero segurar sua mão e acreditar
Em um mundo que não existe arrependimento
Sentir o vento no rosto e achar graça de coisas sem sentido
Não tenho asas de verdade, mas eu posso voar
Basta acreditar em meus sonhos
E levar você comigo.

6 comentários:

  1. Não precisa ter assas nem ter "poderes" para ser anjo...

    Seus texto me arrepiam...

    Carpe Noctem~

    http://mohhomes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. para voar nao é preciso ter asas,
    sao as palavras que nos levao longe...


    gostei muito dos seus poemas.
    me add ai no msn:
    anarockclaudia@hotmail.com

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo poema.

    "Crer que anjos não existem nos levam às profundezas", assim como não crer em um dia melhor amanhã, assim como desistir dos sonhos.

    Estou te seguindo ok?

    Uma boa semana.

    ResponderExcluir
  4. Realmente, é um belo poema... Mas, ao vir aqui, minha intenção original era agradecer pelos últimos comentários no Anjos Histéricos. Obrigada, gosto mesmo muito deles.

    Aproveito para deixar contigo o link de um segundo blog que mantenho com outras duas autoras, que não sei se já cheguei a mostrar-lhe. Se te despertar alguma curiosidade, aqui está: www.ocorvoblog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. E vão arrepiar mais Moh ^^
    Carpe Noctem

    Vlw bro

    Vou add Misa :)

    ok, seja bem vindo(a) ordem, boa semana tbm.

    Eu só digo o que eu sinto ao ler seu blog Luciana, obg por vir e to seguindo.

    Obrigado a todos ^^

    ResponderExcluir