terça-feira, 19 de julho de 2011

Noite eterna




Batem a porta no meio da noite
Vou ao encontro de minha sombra
Não é ninguém, somente as vozes
Elas dizem que não vai ter fim
Bato a porta e mesmo soluçando
Escuto seu choro aos cantos da sala
Procuro atentamente te encontrar
Em baixo dos lençóis ou num canto qualquer

Lá fora a chuva cai e é como se
Entendesse cada gota, cada som
Cada uma carrega sua dor
Mas uma única eu não consigo entender
São aquelas que caem de meus olhos

Procuro a solução
Espero ainda o nascer do sol
Mas os sons, os gritos
A dor, o ódio, a solidão
Arrancam meu sono e meus sonhos
Mas nunca vai me deixar
Sei que ainda esta aqui
Meu amor...
Machucando-me e brincando
Sorrindo a cada canto deste quarto
Não consigo entender porque no final
É quem me deita quem me dá calor
Quem sussurra que me ama
E desaparece junto com a lua
Olhando á cima percebo que
Não fechei os olhos
Nesta noite.

4 comentários:

  1. A pior e queerer cuidar de alguem a quem se ama, e não conseguir , pois ela ja vez uma escolha.


    show de bola a post , vc tem muito talento.

    Abraços Solitarios
    http://alone--again.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. A chuva e as lagrimas sempre ajudam a acalmar algo...

    ResponderExcluir
  3. Me sinto exatamente como as gotas desta chuva, carrego uma grande quantidade de dor. Lindas e sábias as suas palavras.

    ResponderExcluir
  4. Vlw gente, essas palavras que me ajudam a continuar >)

    Sempre vai ter alguém que espera os cuidados que tanto desejamos a alguém.

    A chuva nunca nos deixa sozinhos... :)

    Deixe que a chuva vai entender sua dor, gota por gota.

    ResponderExcluir