quarta-feira, 15 de junho de 2011

Escuridão



Fui esquecido no lago de escuridão
Onde as ninfas não desejam, elas choram
As bruxas sorriem, mas escondem a solidão
Maldito pântano
Suja minha roupa, mas não consigo me afogar
Corvos numa canção sombria
Desejam minha carne, que se machuca a cada minuto
As arvores mortas não escondem a lua
A qual tem beleza única e é a única luz
Espero chegar a algum lugar
Mas a cada passo me adentro mais ao labirinto
Não existe fim
Mas o cheiro de sangue morto começa a me seguir
E as criaturas começam a vir
Diante da morte e ainda só pensando em você
Esqueço de tudo e me deixo cair
Nessas frias águas sujas
Anfíbios e répteis me fazem companhia
Nessas ultimas horas da vida
E seu cheiro fétido parece não me incomodar
Nem as feridas que a muito me destroem
Não sinto meu coração bater de verdade a anos
Já estou morto e só agora percebo
Não vou e não pretendo terminar
E nem abandonar meus queridos sentimentos
Mas meu corpo está exausto
E meus olhos a pouco se fecharam.

Um comentário:

  1. killer, que lindo, me identifico totalmente com tais palavras , minha vida nos últimos dias tem sido assim.

    ResponderExcluir