terça-feira, 23 de novembro de 2010

Inexistente



Onde estas? Minha linda. Eu te amo
Minha alma te procura pela penumbra
Eu escolhi só você, mais estou em desespero
Porque não sei se existe, ou se é apenas uma ilusão.

Quando eu te toco, desapareces
Quando eu corro ao seu encontro, foges
Eu preciso te encontrar, preciso te abraçar
Olhar em seus olhos e te fazer me desejar
Tocar seu corpo e sentir seu amor
Sendo tão fria, talvez morta, talvez eu esteja morto.

Meu anjo, minha princesa, minha prometida
Quero enxugar essas lagrimas
Ser seu protetor, seu guardião, seu amigo
Meu coração pede por socorro, ele precisa de seu amor.

Pelos caminhos que passei, sempre vi seu rosto
Em todos os olhares e vidas que passaram
Essas lágrimas caem por você, caem por não me corresponder
Sei que quando sentir meu coração bater
Não vai mais escolher a dor da solidão
A lua vai brilhar e a chuva cair.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Espelhos



Mostra a face do absoluto, o reflexo do esquecido
Essa feição maléfica que cobre os olhos e as mãos se sangue
Mesmo que olhe para os lados, os fantasmas do passado
Esses nunca se esquecem de quem és
Arrastam-te, puxam, dilaceram e devoram
Como lutar contra a própria natureza.

A face da morte cerca a alma, visa te torturar
Os reflexos, a respiração, até que pare de bater
Essa depressão faz delirar, ou o sangue á volta é real?
A lua não brilha tão bela, a chuva seca, o sol negro
Amor poderia fazer renascer das cinzas
Tirar esse vazio que cobre todo o ser.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Quando chove



Quando a alma sente a paz
Quando se vê algum sentido
Quando o coração para de bater por um segundo
Quando a vida volta a ter significado
Quando respira bem fundo e olha pra frente de novo
Quando agradece por existir algo tão belo como a chuva.

Os reflexos nas águas não mostram a realidade
São o que sempre quis ser ou fazer
Proporciona uma sensação única
Mostrando que a mente não é tão insana.

É bela como a noite, e quando estão juntas
São como um casamento perfeito
As luzes da lua com o cair da chuva
As vozes da noite com a vibração das almas
Um romance natural que foge aos olhos dos seres humanos
Que não aprenderam a dar valor à vida.

Fechar os olhos durante uma noite
Você sonha com tudo que sempre quis
Fechar os olhos durante uma chuva
É refletir e achar um caminho pra tudo que aflige
Fechar os olhos durante um romance natural
É aprender a sorrir verdadeiramente de novo.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Simples amor


De onde vêm essas lagrimas?
Se você tem esse sorriso lindo
Esse amor que enche meu coração de alegria
Porque me esconder o que sente
Se eu posso te curar dessas feridas
Me diga, me beije me ame, te mostro o caminho.

Eu posso ser a simples brisa que bate no seu rosto
Mas que pode te fazer agradecer pelo alivio
De sentir seu coração bater mais forte do que nunca
De ter a confiança de que ele não vai sangrar como antes.

Eu posso te segurar com força
Tenha a certeza de que nada pode te afetar
Nada pode te ferir e fazer você chorar
Pode dançar ao vento, á lua, as estrelas
Que sempre que cair, eu te levanto de novo
E se não puder, eu caio junto com você.

Mesmo que se sinta destruída
Por todos aqueles que te cercam
Saiba que eu to sempre do seu lado
Te levando ao topo, que sempre foi o seu lugar.

domingo, 26 de setembro de 2010

Na escuridão



Um rio de lagrimas
Uma tortura da alma
O silencio doentio
O sangue preso na garganta
Simbolizam sua solidão
Nessa floresta perdida

Procurando por calor
Você se rasteja ao chão
Criando um rastro de incertezas
Seguindo sem olhar pra traz

Suas unhas saem da pele
Quando força contra o peito
Que é de onde sai essa podridão toda
Que te deixa infértil
A produzir um conforto
A sua própria vida.

domingo, 12 de setembro de 2010

Flores de sangue


Machuquei minhas mãos ao pegar aquelas flores
Meu coração explodia por te amar
Mesmo com as mãos sangrando pelos seus espinhos
Eu tirei um por um para te dar.

Não peço que me ame, esse sentimento é forte
Não peço que me perdoe não me arrependo de nada
Não peço que me ignore, porque estou dentro de você
Não peço nada, desespero já toma conta de mim
Se um dia pedir sua mão, a segure
Sei que posso te levar pra um lugar melhor.

Um lugar único, onde a lua é a única que tem luz
As flores de sangue que eu te dei
Estão todas lá esperando seu toque
As criaturas da noite dançam á luz da fogueira
Uma dança diferente, estão em paz
Um lugar perfeito, para sonhar.

Seguindo um caminho escuro eu olho para traz
Sentindo você me seguir em sua mente
Vejo você como ninguém consegue
De longe sei o que sente
De suas lagrimas tiro um poema
Que pode te deixar feliz de novo.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Dark



Quem é aquele que sorri na sua janela
É noite, ele não para de olhar para você
Será que é apenas sua imaginação
Ou a face de um mundo que deixou para traz.

Você pensa que é livre, mais nunca saiu de seu quarto
Você acha que pode ser melhor, mais nunca muda
Se uma alma fria, perdida na noite se alegra
A sua chora, porque eles riem de você
E você não entende essa voz na sua mente
Que te manda fazer coisas que não quer.

Talvez você domine suas atitudes
Talvez só perceba depois da morte
Que ninguém esta ao seu lado
Que ninguém sabe quem é você.

Viver em um mundo paralelo parece divertido?
Porque você não pode viver em seu próprio mundo?
Por quê? POR QUE!?
A resposta pode estar na cara daquele que ri na janela
Vendo-te sofrer, se alegra com sua angustia
Você tenta se levantar mais esta muito presa á sua própria teimosia.